16 de novembro de 2012

Companhia dos Grandes Armazéns Alcobia

A “Companhia dos Grandes Armazéns Alcobia’" foi fundada em 1914, e estava instalada na Rua Ivens, 14 esquina com a Rua Capelo num edifício propriedade dos condes e primeiros marqueses de Gouveia, D. Afonso de Serpa Leitão Freire Pimentel (1849 - 1930) e sua esposa D. Grácia da Cunha Matos de Mendia. Ocupou a Loja, 1º e 3º andares do Palacete, entre 1914 e 1950.

                                                           Companhia dos Grandes Armazéns Alcobia

                             

Paulo Alcobia começou a sua carreira com uma barraquinha que montava na feira de São Pedro, todas as primeiras e últimas terça-feiras de cada mês, onde se vendiam artigos de decoração. Mais tarde começou a ter sucesso com as suas vendas e acabou por conseguir o seu próprio armazém, depois vários armazéns.

                                      

Primitiva casa de móveis de Carlos Alcobia, num anúncio de Outubro de 1908

Carlos Alcobia era o director desta prestigiada casa ao nível da decoração de interiores. Para para director artístico da área de decoração, organização técnica das fábricas e estabelecimento na Rua Ivens, foi convidado Franz Torka, que foi assistente e decorador chefe do atelier de Otto Wagner entre 1909 e 1911. Torka, em 1940, viria a abandonar a “Companhia Alcobia” e abre o seu próprio atelier de decoração no Largo da Graça. Em 1946, João Alcobia seria o novo gerente da “Companhia dos Grandes Armazéns Alcobia”.

                                                        Fotos seguintes: Interiores das salas de exposição

Armazéns Alcobia.3 

A “Companhia Alcobia” comercializava móveis de estilo e aristocráticos, porcelanas, candeeiros em cristal, sofás e maples, tapeçarias e carpetes em lã, entre outros artigos de decoração. Em 1931 é construída uma galeria em madeira e respectiva escada de acesso, nas dependências ocupadas por esta empresa, para exposição de mobílias mais baratas.

         Armazéns Alcobia.6              Armazéns Alcobia.7

A “Companhia dos Grandes Armazéns Alcobia” , foi fornecedora de adereços e mobiliário para grandes filmes portugueses na década 40 do século XX, como o "Costa do Castelo" (1943), “Menina da Rádio” (1944) e “Leão da Estrela” (1947).

                             Referência aos Grandes Armazens Alcobia no genérico do filme "Costa do Castelo"

                                               

Armazéns Alcobia.5 

João Jorge de Mascarenhas e Menezes Alcobia, foi sócio-gerente da "Casa Jalco", e antigo sócio da "Casa Quintão" (Quintão, Lda.) fundada em 1880, ambas também situadas na Rua Ivens no números 32 e 44 respectivamente, e dedicadas ao comércio de mobiliário, tapeçarias e decoração de interiores. A "Casa Quintão" viria a dedicar-se, ainda, á comercialização dos tapetes de Arraiolos e Beiriz, além de faiança, ferros forjados e cristais.

                                    "Casa Jalco"                                                                         "Casa Quintão"

 

fotos in: Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian

Esta empresa, sob a designação de “Companhia dos Grandes Armazéns Alcobia, S.A.” , também ligada a estabelecimentos como o "Papagaio da Serafina", existiu até Outubro de 2009, ano em que foi declarada insolvência. A última Loja foi no “Centro Comercial Roma”, na Av. de Roma, em Lisboa.

                                                                              Publicidade em 1944

                               

                                                                                           1947

                         


gentilmente cedido por Jaime Gouveia

Desde 1937 que a “Rádio Renascença”, começou a ocupar parte deste palacete para montar os seus estúdios, assim que começaram as emissões diárias de rádio nesse ano. Mais tarde em 1955, expande-se ocupando o espaço da “Companhia dos Grandes Armazéns Alcobia”, que entretanto muda de instalações. Adquirindo sucessivos andares e lojas a “Rádio Renascença” ocupa hoje todo o edifício.

3 comentários:

mjlencastre disse...

Alguem sabe se antes dos Armazéns Alcobia havia no mesmo local uma casa também de móveis chamada CASA GARDÉ ?

HNO disse...

Exmo. Senhor,
Creio que João Alcobia, meu tio, sócio da JALCo se chamava João Jorge de Mascarenhas e Menezes Alcobia e não João Carlos.
os melhores cumprimentos e parabéns pelo seu excelente "blog".

José Leite disse...

Caro HNO

Peço desculpa pelo erro.

Grato pela sua correcção e pelas suas amáveis palavras em relação ao blog.

Já agora aproveitava a ocasião para lhe pedir um favor.

Caso saiba algo sobre a história da JALCO se me poderia ajudar em enviar o que souber da sua história para o meu e-mail.

jal2684@gmail.com

Tenho fotos de excelente qualidade mas nada de história ...

Os meus cumprimentos e agradecimentos

José Leite