7 de dezembro de 2011

Companhia Nacional de Navegação (CNN)

A “Empresa Nacional de Navegação a Vapor para a África Portugueza” (ENN) (1880-1918) foi constituída em Lisboa como Parceria marítima por escritura de 20 de Dezembro de 1880. Foram seus fundadores as empresas “Bensaúde & Cª”, António José Gomes Neto e Ernesto George. A 30 de Dezembro de 1880 a ENN assina contrato de exclusividade com o Governo português para efectuar a ligação de Lisboa com a África Ocidental por um período de 10 anos, obtendo a patente de paquete para os seus vapores e isenção de direitos alfandegários, por dez anos, para navios, máquinas e sobressalentes.

                                                                

                                                                        Escritórios da ENN  em 1904

        

Por este contracto a ENN obrigava-se  a efectuar 12 viagens anuais na carreira Lisboa - Moçâmedes. Essas viagens com duração de 70 dias fariam escalas no Funchal, São Vicente e São Tiago em Cabo Verde, Príncipe, São Tomé, Rio Zaire, Ambriz, Luanda e Benguela. A frota seria constituída por quatro paquetes de 1.800 toneladas com lotação para 60 passageiros em 1ª e 2ª classes e 130 em 3ª classe, incluindo o transporte gratuito de correio e de 6 colonos. Os primeiros dois paquetes, gémeos de 1.966 toneladas, encomendados aos estaleiros “Earles Shipbuilding & Engeneering Company Limited”, em Hull,  foram o “Portugal”  (1881-1897)  e “Angola”  (1881- 1909), entregues em 1881. Seguiram-se o “Bolama” (1883-1896) “S. Thomé” (1883-1904), “Cabo Verde” (1883-1917), etc.

                                            Notícia na revista “Occidente” do paquete «Portugal» (1881-1897)                                           

                                 

                                              

                                                    «Angola» (1881-1909), já sem estar equipado com  velas

                                 

De referir que o primeiro paquete da ENN o “Portugal” teve um final trágico, pois naufragou em Fevereiro de 1897 no decorrer de uma viagem de África para Lisboa e em consequência de um encalhe ocorrido na costa da ilha do Sal em Cabo Verde. A sua carga perdeu-se, mas a tripulação e os passageiros sobreviveram ao desastre.

                    Alguns paquetes da “Empresa Nacional de Navegação a Vapor para a África Portugueza” (ENN)

                                   «Loanda» (1889-1922)                                                      «Lobito» (1905-1909)

        

                                                                                            1897

                                       

                                 «África» (1905-1932)                           «Lisboa» (1910-1910) perdido por encalhe em Cape Town

          

1915

Por escritura de 4 de Abril de 1918, a parceria marítima “Empresa Nacional de Navegação a Vapor para a África Portugueza” foi transformada em sociedade anónima com o capital de 9.000 contos (45.000,00 €) e passou a ser designada por “Companhia Nacional de Navegação” (CNN) (1918-1985), com sede na Rua do Comércio, 85 em Lisboa. Foi nos seus navios se fez a maior parte do transporte dos contingentes militares, material, funcionários do Estado e portugueses que iam para os antigos territórios portugueses em África.

                                                CNN.8

                                                                       Interiores da sede CNN em Lisboa

                      

                                        

O primeiro navio a ser adquirido pela nova “Companhia Nacional de Navegação” (CNN), foi o paquete holandês “Sindoro”, de 5.471 toneladas, construído em 1900, tendo sido mudado o nome para ”Pedro Gomes”  (1922-1932) que entrou no Tejo pela primeira vez em 13 de Setembro de 1922. Seguiu-se a compra do “Alberteville”, em Junho de 1923, de 7.745 toneladas ao qual foi dado o nome de “Angola”  (1923-1946).

                                «Pedro Gomes» (1922-1932)                                                 «Angola» (1923-1946)

        

Até 1922 a “Companhia Nacional de Navegação” (CNN), tinha tido o exclusivo das carreiras marítimas portuguesas para África. A partir deste ano começou a ter a concorrência da “Companhia Colonial de Navegação” (CCN) (consultar post  Paquete “João Belo” e a CCN), fundada na cidade do Lobito a 3 de Julho de 1922.

                                                              Rebocador «Beira Primeiro» da CNN, de 1921

                                        

                                                                                            1926

                                 

                                   Folheto da “Companhia Nacional de Navegação” (CNN), em 1930

              

        

        
            folheto in: Blogue dos Navios e do Mar

                                             Alguns navios da “Companhia Nacional de Navegação” (CNN)

                            «Lourenço Marques» (1925-1950)                                             «Quanza» (1928-1968)

          

                                «Moçâmedes» (1947-1973)                                             «Moçambique» (1949-1972)                     

          

                                                 1949                                                                                  1956

         

                                                                                       … 1955 …

           

                                «Índia» (1951-1971)                                                      «Niassa» (1955-1979)

        

O último navio mandado construir pela CNN foi o Paquete “Príncipe Perfeito”, entregue a 31 de Maio de 1961. A sua primeira viagem foi a 27 de Junho de 1961 a África com escalas no Funchal, São Tomé, Luanda, Lobito, Moçâmedes, Cape Town, Lourenço Marques e Beira.

                                                                        «Príncipe Perfeito» (1961-1976)

                                       

                                       

                  Capa do livro do cinquentenário da CNN em 1968          Medalha do centenário da ENN/CNN, em 1980

                           
                 fotos in: Navios e Navegadores

Durante o governo do prof. dr. Marcello Caetano o seu ministro da Marinha, o Almirante Pereira Crespo, encetou uma política de marinha mercante baseada na renovação da frota de cargueiros e fusão das principais empresas de navegação portuguesas em apenas duas companhias. Por consequência a frota da “Sociedade Geral - S.G.”  (1919-1972), empresa cuja actividade estava ligada à CUF pelo transporte de matérias primas necessárias e de produtos saídos das unidades fabris dessa empresa, foi integrada na “Companhia Nacional de Navegação” em 1972. A partir desta altura a CNN passa a ser o maior armador portugês com cerca de 40 navios na sua frota.

                                                                                 «Sofala» (1973-1982)

                                        

O “Sofala”, navio de carga, foi mandado construir pela “Sociedade Geral - S.G.” assim como o seu irmão gémeo “São Tomé”, tendo sido integrados na frota da CNN em 1973 em virtude da fusão entre as duas companhias com referi anteriormente. Em 1982 foi vendido para Israel.

Em Dezembro de 1973, a “Empresa Insulana de Navegação” absorveu a “Companhia de Navegação Carregadores Açorianos” .

Este processo de fusões viria a culminar com a fusão da “Companhia Colonial de Navegação” com a “Empresa Insulana de Navegação” dando origem à “CTM - Companhia de Transportes Marítimos” a 4 de Fevereiro de 1974. Esta empresa iniciou a sua atividade com 4 paquetes: “Funchal”, “Infante Dom Henrique”, “Ponta Delgada” e “Uíge”. A 25 de Abril de 1974 a juntar as estes paquetes restavam outros 5 navios da CNN: “Ana Mafalda”, “Niassa”, “Príncipe Perfeito”, “Rita Maria” e “Timor”.

                                                       Folheto da CNN editado pós 4 de Fevereiro de 1974

        

        
folheto in: O Grupo CUF - Elementos para a sua História

Depois de em 1980 só existirem 2 navios de passageiros a navegar sob bandeira portuguesa, o “Funchal” (1961 - ) e o “Ponta Delgada” (1961-1997) ambos da “CTM - Companhia de Transportes Marítimos”, a 3 de Maio de 1985 o governo decretou a liquidação da CNN e da CTM, sendo as suas frotas vendidas em hasta pública.

                                       «Funchal» sob as cores da “CTM - Companhia de Transportes Marítimos”

                                        

                                 «Ponta Delgada» sob as cores da “CTM - Companhia de Transportes Marítimos”

                                        

fotos in: Navios e Navegadores, Blogue dos Navios e do Mar, Hemeroteca Digital, Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian

Para a elaboração deste artigo foi consultado, também, o livro: «Paquetes Portugueses», de Luís Miguel Correia, Edições Inapa, Lisboa, 1992

3 comentários:

Guida disse...

Boa tarde. Existe algum registo de passageiros da CNN que possa ser consultada? Estou interessada no transporte de e para S. Tomé pelo ano de 1918/1919 e Moçambique (Lourenço Marques) em 1904/1905. Procuro familiares. Obrigado. Margarida Bruno

José Leite disse...

D. Margarida Bruno

Isso não se lhe sei informar.

Os meus cumprimentos

José Leite

sanito Mequeza disse...

Boa noite. O pai da minha mae foi tripulante dos navios mocambique,nova redendo e principe perfeito. A minha mae deixou de ver o seu pai quando tinha os seus 8 anos. O pai era natural de Inhambane ,chamava-se Fernando Machado,teve uma filha de nome Adelina na ILha de Mocambique. Isso na decada ou anos 1964-72, agradeceria ter contactos dele quer famiiares,amigos ou colegas que conheceramm. Sanito---contacto +258847195006 sanito012@gmail.com