20 de junho de 2011

Paquete “Vera Cruz”

Encomendado pela ‘Companhia Colonial de Navegação’ , em 9 de Agosto de 1949 aos estaleiros belgas “Societé Anonyme John Cockerill “ (Antuérpia), o paquete de passageiros português “Vera Cruz”, fez a sua viagem inaugural a 20 de Março de 1952 com destino à cidade do Rio de Janeiro à qual chegou 9 dias depois a 29 de Março. Este navio foi destinado às carreiras regulares com o Brasil, o que efectuou até 1961.

                                       “Vera Cruz” atracado ao cais da CCN junto à Rocha do Conde de Óbidos

                                  

          Foto e pintura (de Fernando Lemos) do “Vera Cruz”, em construção e atracado nos estaleiros John Cokerill

      
        fotos in: Faro é Faro

Estava equipado com modernos aparelhos de radar, com alcance de 30 milhas, agulha giroscópica e piloto automático. Os passageiros, dispunham de três classes de camarotes. Dispunha de salas de cinema, jardim de Inverno, piscina e hospital. O seu custo foi de 408.000 contos (cerca de 2.000.000 Euros).

                                                                Fotos do modelo do paquete “Vera Cruz”

                                 

       

                                                    

fotos in: Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian

Características:

Tonelagem de arqueação (t.a.b.): 21.765 t
Propulsão: 2 grupos de turbinas a vapor “Parsons”. Potência total: 25.500 SHP
Veios de hélices: 2
Comprimento: 185,75 m
Boca (largura): 23 m
Velocidade máxima: 23 nós 
Passageiros: 1.242, em 289 camarotes assim distribuídos:
1ª  Classe  -  148
2ª  Classe  -  250
3ª  Classe  -  844

Tripulação: 350 homens, sendo 38 oficiais

                                                                    Paquete “Vera Cruz” na doca seca

  
Estas 3 fotos foram gentilmente cedidas por Sotero Ribeiro

                                         Os irmãos gémeos “Vera Cruz” e “Santa Maria”, em Tenerife em 1956

                                       

                                Escadaria e átrio da 1ª classe                                             Salão de festas da 1ª classe

        

                                          Ponte de comando                                                                Tombadilho

        

O paquete “Vera Cruz”, foi retirado de serviço em 1973 e vendido para sucateiros de Kahosiung na Ilha Formosa, assim como seu irmão gémeo o paquete “Santa Maria” (1953-1973).

                                                            “Vera Cruz” e o “Santa Maria” em Kaohsiung

                                                    
                                                                       fotos in: Blogue dos Navios e do Mar

                                    20 de Março de 1952                                              30 de Dezembro de 1955

              

Para a elaboração deste artigo foi consultado também o livro: «Paquetes Portugueses», de Luís Miguel Correia, Edições Inapa, Lisboa, 1992

11 comentários:

Anónimo disse...

O "Vera Cruz"merecia melhor sorte,que a sua demo_
lição.Era um navio"bem fadado",além da sua robus_
ta contrução.Penso ter sido o único dos modernos
navios Paquetes portugueses,a ter sido posto à
prova daquela maneira e da qual se saíu airosa_
mente,com alguns"arranhões".Poucas pessoas(exce_
pto,quem vinha a Bordo)sabem o que se passou na
madrugada do dia 26 de Maio de 1970,por volta das
04h20.O "Vera Cruz"sobreviveu a uma terrível tem_
pestade que o açoitava havia três dias.Ao largo da Costa da África do Sul,de regresso a Lisboa,
frente ao Cabo Morgan,ía indo rápidamente ao fun_
do,quando foi atingido por duas Ondas cismicas
com vinte metros de altura.Eu vinha a Bordo.
Carlos Nabeiro.

Mário disse...

Eu também fiz a viagem no Vera Crus A 7/7/1971 para Angola, onde correu uma viagem maravilhosa, embora tivesse de carga ao mar, não foi por culpa da ondulação, mas sim por causa da cerveja sagres de exportação.
Mário Silva
O cabo padeiro c.c.3387

m disse...

Em 7 de Julho de 1971, integrado na C.Caç 3383, também fiz a viagem para Angola no Vera Cruz. Agora o que eu gostaria de saber é o que será feito do paquete Império, em que fiz a mesma viagem em puto e como colono. Lembro-me de um alvoroço a bordo ocasionado por entrada de água que precipitou toda a gente para os pisos superiores. Mas depressa os profissionais resolveram o problema que nos poderia ter sepultado no Atlântico. Saberá alguém do que aconteceu ao Império?

TrekMan disse...

Boa tarde.
Alguém me sabe dizer se era a bordo no N/T "Vera Cruz" ou do N/T "Santa Maria" que havia uma imagem de Nossa Senhora dos Navegantes?
Desde já obrigado.

José Leite disse...

Foi na capela do paquete Vera Cruz que existiu uma imagem da Nossa Senhora dos Navegantes.

Cumprimentos

José Leite

Adriano Neto disse...

A imagem de Nossa Senhora dos do Paquete Vera Cruz foi leiloada em 2011 e adquirida pela Paroquia de Nossa Senhora dos Navegantes-Parque das Nações-Lisboa.
Está exposta nobre e solene na Igreja dessa Paroquia desde a sua Dedicação em 30/03/2014.

Cumprimentos,
Adriano Neto

Jose Rosa disse...

Também viagei nele. Para a guerra e da guerra. Embarquei em Lisboa a 15/4/67 e desembarquei em Luanda a 24 do mesmo mês. Embarquei de novo em Luanda a 21/6/69 e desembarquei a 30 do mesmo mês. Em minha opinião era um belo navio. José Rosa

Rui Pedro disse...

Também fiquei triste quando soube do desmantelamento! Quanto mais não fosse, gostava que ele fosse transformado em hotel/museu, como aconteceu com o Queen Mary que agora está em Long Beach na Califórnia!
E gostava que fosse construído o Vera Cruz 2, tal como construíram o Queen Mary 2, mas da maneira como este país está de pantanas...

João Correia disse...

Alguém conheceu elementos da tripulação do "Vera Cruz", Alguém andou embarcado com o Artur Trancadas ?

José y Molina disse...

Certamente alguém conheceu o "Pepe" de seu nome José Molina. Sou o filho, conheci alguns tripulantes. Infelizmente o meu pai já faleceu há anos. Mas deixo aqui o registo. Na Praia das Maçãs ainda vive alguém que lá andou desde o início. Um abraço sentido. José Molina (filho)

José Sérgio disse...

embarquei nesse lindo e acolhedor Paquete a 23 de Novembro de 1996 para a guerra do ultramar em Angola e regressei no mesmo em 21 de Novembro de 1968 fiquei triste ao saber que foi destruído pois acho que merecia melhor sorte nesse embarque fomos 3000 homens eu pertencia há secção de projectores do regimento artilharia costa era o primeiro cabo 79 se algum dos meus camaradas ler isto e me queira contactar o meu telemóvel é o 939910468 Sérgio.