22 de setembro de 2017

Hotel Eduardo VII

O “Hotel Eduardo VII”, propriedade do grupo “Hotéis Eduardo VII”, liderado por Joaquim Paredes Alves e L. Ribeiro da Silva, foi inaugurado na Avenida Fontes Pereira de Melo, em Lisboa, a 3 de Dezembro de 1957.

“Hotel Eduardo VII” em construção, e na foto da direita uns anos depois

 

Vista a partir do último andar onde fica o restaurante “Varanda”, em 1958

Esta unidade hoteleira, projectada pelo arquitectos Lima Franco e Manolo Potier, que inicialmente oferecia 103 quartos, barbeiro, cabeleireiro, bar, restaurante “A Varanda”, no último piso, foi o primeiro hotel em Portugal a ter uma sauna finlandesa, massagens e duches. O pequeno-almoço buffet, a televisão e ar condicionado nos quartos, o telefone ligado ao exterior e quartos para não fumadores foram alguns serviços em que o “Hotel Eduardo VII” foi pioneiro.

 

Fotos aquando da sua inauguração

 

Miguel Paredes Alves, filho do fundador e presidente do Grupo “Hotéis Eduardo VII” refere: «a empresa, apesar da sua pequena dimensão, foi a primeira em Portugal a estender a sua actividade a mais três continentes (África, América do Sul e Médio Oriente) e a que abriu portas no País à central de reservas internacional Utell International e à rede de hotéis independentes Best Western”.

Etiqueta de bagagem

No início de 2012, foi concluída uma profunda renovação, no “Hotel Eduardo VII” de 3 estrelas, que abrangeu os 60 quartos e casas de banho, a instalação de sistema wireless com acesso grátis em todos os quartos, a remodelação de escadas e elevadores, cozinha, copa e zonas de serviço, e a recuperação de diversas infra-estruturas de águas e climatização.

“Hotel Eduardo VII” actualmente

 

 

 

Neste momento o Hotel dispõe de 137 quartos (100% não-fumador), restaurante panorâmico “A Varanda”, no 10 º andar, bar, salas de reuniões, garagem pública.

Novas obras de renovação foram iniciadas no passado dia 3 de Abril de 2017 e que se prolongarão por 1 ano.

fotos in: Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian (Estúdio Mário Novais), Arquivo Municipal de Lisboa

2 comentários:

Anónimo disse...

Arquitectos Lima Franco e Manolo Potier

José Leite disse...

Muito grato pela informação que não tinha conseguido obter.

Os meus cumprimentos