4 de setembro de 2016

Cinema “Roma”

O cinema "Roma" localizado na Avenida de Roma, em Lisboa e inaugurado em 15 de Março de 1957 foi mandado construir em 1955, por Joaquim Brás Ribeiro Belga, tendo sido o projecto entregue ao arquitecto Lucínio Cruz.

Desenho do projecto publicado no “Diario de Lisbôa” em 5 de Agosto de 1955

O cinema "Roma", com capacidade para 1.100 espectadores, seria inaugurado, como foi referido, em 15 de Março de 1957, com a presença do Ministro da Presidência, Governador Civil de Lisboa, o Secretário Nacional de Informação e o Inspector-Geral dos Espectáculos. Para esta inauguração foi exibido o filme "Contos Romanos" de G. Franciolini. Silvana Pampanini uma das participantes nesta película foi a actriz convidada para esta estreia e inauguração.

Filme “Contos Romanos” estreado na inauguração do “Roma”

A propósito da abertura do cinema "Roma", o "Diario de Lisbôa" escrevia:

«O novo cinema, construído em pouco mais de dois anos, tem lotação para mais de um milhar de espectadores, com uma ampla plateia e uma tribuna que descem para o palco formando um segmento de coroa circular. As linhas arquitectónicas do edifício são sóbrias, como é norma nas novas casas de espectáculos, e a própria decoração dos corredores e pátios prima pela discrição. As cadeiras da sala, forradas a verde, são comodas e oambiente cria no publico uma sensação de bem estar.»

Em 21 de Fevereiro de 1958, o cinema "Roma" estrearia pela primeira vez, e última, um filme português: "O Homem do Dia" realizado por Henrique Campos e distribuído pela "Internacional Filmes". Em complemento "Cidade de Poetas" de Fernando de Almeida.

21 de Fevereiro de 1958

                                1959                                                               1969                                                   1972

  

                                                       1976                                                                           15 de Maio de 1964             

 

Encerraria a 13 de Outubro de 1988, com o filme “Comboio em Fuga” em exibição. Durante algum tempo seria utilizado como armazém, até ser comprado pela Câmara Municipal de Lisboa.

Em 1996, sofre algumas obras de recuperação e em 1997 passa a ser a sede da “Assembleia Municipal de Lisboa”. Em Abril de 2003, a sua gestão foi confiada à “EGEAC - Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural” que o administrou até ao final de 2005. Actualmente a sua gestão é da responsabilidade conjunta da CML e da AML com o nome de “Fórum Lisboa”, sendo simultâneamente a sede da “Videoteca Municipal”.

O “Fórum Lisboa” dispõe de dois auditórios, um principal e outro mais pequeno. O auditório principal tem capacidade para 701 lugares, equipado com equipamento de som, luz e sistema de projecção de filmes em 35 e 16 mm bem como sistema de projecção vídeo. O pequeno auditório tem capacidade para 25 pessoas. No primeiro piso, existe ainda uma sala de apoio, com 40 lugares.

 

fotos in:  Arquivo Municipal de Lisboa, IÉ-IÉ, Assembleia Municipal de Lisboa

Sem comentários: