13 de junho de 2016

Metalúrgica Luso-Italiana

A “Sociedade Comercial Luso-Italiana, Lda.” foi fundada em Lisboa, com um capital social de 1.000 escudos, destinada à representação e comercialização de torneiras italianas, inicialmente da marca “Mamoli” e de outros artigos. Em 1944, inicia a sua actividade produtiva com instalações na Travessa das Salgadeiras ao bairro de Arroios, em Lisboa. Aqui fabricaria além de torneiras, esquentadores, caldeiras, etc.

Local onde terá estado instalada a “Sociedade Comercial Luso-Italiana, Lda.” na Travessa das Salgadeiras

 

Em 1948 a “Sociedade Comercial Luso-Italiana, Lda.”  muda para a sua designação actual, ainda como sociedade por quotas, “Metalúrgica Luso-Italiana, Lda.” e em 1964 transforma-se em sociedade por acções, passando a designar-se por “Metalúrgica Luso-Italiana, SARL”, já com a sua sede e instalações fabris na Avenida Marechal Gomes da Costa, em Lisboa.

1948

Fornecimento ao “Hospital de Santa Maria”, em 1953                                                 1956

   

Até 1964 a sua linha de fabrico abrangia, torneiras “Mamoli” e “Palácio”, esquentadores “Carloni”, caldeiraria, componentes para ventilação, ar condicionado e aquecimento. A partir do ano de 1964, teria início o fabrico e comercialização das torneiras da marca “Zenite”, marca que se mantém até hoje.

Em 1957 é iniciada a construção da unidade fabril e sede da “Metalúrgica Luso-Italiana, SARL”, na Avenida Marechal Gomes da Costa, em Lisboa, tendo sido inaugurada no início de 1958.

 

 

 

 

                                                1959                                                                                     1960

    

23 de Setembro de 1966, aquando da inauguração do edifício do “Ministério das Corporações e Previdência Social” na Praça de Londres, actual “Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social”

Com uma forte presença nas antigas colónias portuguesas, a empresa sofre alguma instabilidade, em consequência das alterações políticas e económicas verificadas a partir de Abril de 1974. Em 1981, o “Grupo José de Mello” adquire, através da “Lisnave - Estaleiros Navais de Lisboa, S.A.”, uma participação maioritária no capital da empresa e, com o objectivo de viabilizar o seu projecto, faz importantes investimentos estruturais, dos quais se destacam a reorganização e a modernização do processo de fabrico, de modo a prepará-la para as novas exigências do mercado. Este Grupo adquire, igualmente uma posição maioritária na empresa “Metalúrgica Luso-Alemã, S.A.” sediada em Valadares - Vila Nova de Gaia, que fabricava as torneiras da marca “HEI”, no nicho de mercado mais requintado com torneiras lacadas e douradas. Recordo que nesta época, além da marca “Zenite”, lideravam, no mercado das torneiras de qualidade, as marcas, OLIVA com fábrica São João da Madeira e “JAS” com fábrica em Leça da Palmeira.

Em 1987 o “Grupo José de Mello”, nomeia para director comercial de ambas as fábricas, António Saraiva - actual presidente da “CIP - Confederação da Indústria Portuguesa” -  vindo daLisnave - Estaleiros Navais de Lisboa, S.A. onde exercera o cargo de presidente da comissão de trabalhadores. Em 1989 é nomeado administrador, e em 1992 adquire  a empresa na condição de mudar de instalações, a fim destas serem libertadas para posterior comercialização.

Por consequência a  “MLI - Metalúrgica Luso-Italiana, SA”, - em que António Saraiva, detém a maioria do capital social e é seu presidente do conselho de administração - está actualmente sediada em Arruda dos Vinhos (localidade a 35 km de Lisboa), em instalações próprias, ocupando uma área global de 17.000 m2, concentrando a sua actividade no fabrico e comercialização de torneiras das marcas “Zenite” e artigos metalo-sanitários.

“MLI - Metalúrgica Luso-Italiana, SA”, em Arruda dos Vinhos

 

 

A MLI, empregando cerca de 40 trabalhadores e promovendo o desenvolvimento técnico e o design, assim como a sua divulgação, assegura grande proximidade com os mercados nacional e estrangeiro (Espanha, África do Sul, Moçambique, Venezuela e França), para onde exporta cerca de 15% da produção.

fotos in: Arquivo Municipal de Lisboa, Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian (Estúdio Mário Novais), MLI

1 comentário:

José Carlos Igreja disse...

A sede com os telhados em concha da Av. Marechal Gomes da Costa está a ser demolida. Uma pena.