6 de janeiro de 2016

Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão

O “Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão”, foi inaugurado em 2 de Julho de 1966, com a presença do Presidente da República, Almirante Américo Thomaz, do Cardeal Patriarca de Lisboa, D. Manuel Gonçalves Cerejeira, membros do Governo e outras individualidades. Este complexo, cuja inauguração encerrou as comemorações dos 468 anos da “Santa Casa da Misericórdia de Lisboa”,  foi da autoria do arquitecto Sebastião Formosinho Sanches (1922-2004).

Fotos do complexo do “Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão”, aquando da sua inauguração

 

Em 1956, o Provedor da “Santa Casa da Misericórdia de Lisboa”, Dr. José Guilherme de Mello e Castro (1914-1972), decidiu dar início à construção de um Centro de Reabilitação, tendo como principal motivação dar resposta às necessidades dos lesionados da Guerra do Ultramar.

Dr. José Guilherme de Mello e Castro (1914-1972)

A construção de um centro de reabilitação em Portugal, veio dar resposta às enumeras necessidades de todos os indivíduos com limitações motoras, a quem era reconhecido o direito a um desenvolvimento harmonioso das suas capacidades individuais e sociais, tendo como principal fim a mais completa integração desses indivíduos na sociedade. A construção de um centro especializado em medicina de reabilitação teve como base a definição de dois objetivos centrais: reabilitar pessoas com incapacidade motora e formar pessoal especializado em Portugal.

O projeto de arquitetura foi da autoria de Sebastião Formosinho Sanches, e a direção da obra da responsabilidade do engenheiro José Maria Ferreira da Cunha. Ainda de referir, a importante colaboração do escultor Martins Correia, autor da escultura que embeleza o jardim interior e cuja imagem foi escolhida para logótipo da instituição, que se mantem até aos dias de hoje. Todas as despesas referentes à construção, que importou em 101.510 contos, do centro foram suportadas pelas verbas provenientes dos lucros do Totobola, jogo social da “Santa Casa da Misericórdia de Lisboa”, criado para financiar o projeto.

 

 

  

 

 

A “Santa Casa da Misericórdia de Lisboa” nomeou o médico Dr. Santana Carlos para estabelecer os planos de organização técnica do Centro e orientar a preparação de todo o pessoal, médico e técnico. Deste modo, foi definida a realização de cursos inspirados em programas de nível mundial, com substancial cooperação de entidades internacionais, como o “World Rehabilitation Fund”.

À data da sua criação, o “Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão”, que incluía a “Escola de Reabilitação” - que a partir de 1994 passou a designar-se por “Escola Superior de Saúde de Alcoitão” - foi reconhecido, desde logo, como uma das melhores instituições na área da medicina física de reabilitação no mundo, mantendo a sua assinatura de Excelência em reabilitação, até aos dias de hoje.

ESSA - “Escola Superior de Saúde de Alcoitão”

A grande mais-valia e marca distintiva do “Centro de Medicina de Reabilitação do Alcoitão” são as pessoas. Com cerca de 500 colaboradores, este centro mantém uma organização forte e eficiente, que privilegia o trabalho em equipa ao serviço dos utentes e seus familiares.

A equipa multiprofissional de reabilitação é constituída por:

•Médico(a) Fisiatra
•Enfermeiro(a) de Reabilitação / Cuidados Gerais
•Fisioterapeuta
•Terapeuta Ocupacional
•Terapeuta da Fala
•Psicólogo(a) Clínico(a)
•Ortoprotésico(a)
•Educador(a)
•Dietista
•Assistente Social
•Animador Sociocultural

O Serviço de Reabilitação Pediátrica e Desenvolvimento inclui ainda Professores e Educadores de Infância.

Dispõe, também, de Médico Especialista em Imagiologia, bem como de Técnicos de diagnóstico e terapêutica desta área e de Médicos Consultores nas áreas de Cirurgia Plástica, Medicina Interna, Neurologia, Neuropediatria, Ortopedia Infantil, Psiquiatria e Urologia.

“Santa Casa da Misericórdia de Lisboa”  tem proporcionado às suas equipas o acesso a tecnologias e equipamentos atualizados nas diversas áreas de intervenção. Aliados à solidez da experiência, da formação e da especialização, estes oferecem aos utentes um Serviço de Excelência, com valências diferenciadas e com um enquadramento de qualidade e abrangência únicos no País, ao nível dos melhores congéneres internacionais.

 

Bibliografia: Site do Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão

fotos in: Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian, Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão

3 comentários:

Manuel Tomaz disse...

Aqui se fazem "milagres" em reabilitação!...

José Leite disse...

Caro Manuel Tomaz

Tem toda a razão. Milagres graças a excelentes instalações e profissionais.

Cumprimentos

IsabelPS disse...

Há aqui qualquer coisa que não bate certo: a Guerra do Ultramar começou em 1961, pelo que não pode ser o motivo da construção do Alcoitão (mesmo se, muito rapidamente, se tornou o fulcro da sua actividade). Penso, mas teria de verificar, que em 1956 a principal preocuação seria a poliomielite.