28 de agosto de 2014

Feira Franca em 1898

A “Feira Franca”,  esteve inserida no programa  das festividades lisboetas que comemoraram o “IV Centenário do Descobrimento da Índia” , organizadas pela “Sociedade de Geografia”, que as promoveu, delineou e executou, em 1898.

Postal alusivo às celebrações “IVCentenário do Descobrimento da Índia”

Comissão organizadora das comemorações

Sessão solene na “Sociedade de Geografia” em Lisboa

Cartaz “Centenário da Índia”

A decoração da Avenida da Liberdade, começava no cruzamento com a Rua Alexandre Herculano e estendia-se até à Rotunda.

«Marcando o início da Feira, dois símbolos da Índia e das viagens: uma esfera armilar enorme, dentro da qual estava instalada a banda de música e, à direita, um elefante de madeira de sete metros de altura, com uma exposição sobre a Índia. Na inauguração da feira, um cortejo triunfal apresentou todos os aspectos do intercâmbio comercial luso-indiano, em desfile alegórico. Atrás dele seguiam, em carros enfeitados, as crianças de quase todas as escolas da capital. 

Decorações alusivas e desfile comemorativo na Avenida da Liberdade

 

 

 

 

 

A “Feira Franca” seria inaugurada a 15 de Agosto de 1898, «ás 8 horas da manhã, sem as formalidades que são de uso, por falta de tempo indispensavel á conclusão das installações, a inauguração da Feira Franca, na rotunda da Avenida.»

Constituída por palhotas, cubatas e outras barracas típicas que ornamentavam a rua da Feira. Como «comes e bebes» o habitual: capilé, vinho, sardinhas. Numa pequena tenda, o espectaculo mais triste foi, passado cinco dias, proibido: a luta de galos. mas para o substituir em prestígio e no espanto do público, um trabalho digno de admiração: o famoso “Circo das Pulgas Amestradas”. .

“Feira Franca”

 

 

Outra novidade da “Feira Franca”, foi a apresentação pública do “Visiograph” e do “Audiophone”. Aqui fica a notícia do jornal “Diario Illustrado”  de 17 de Maio de 1898.

As comemorações do “IV Centenário do Descobrimento da Índia”, encerrariam no dia 21 de Agosto de 1898, dia em que seria inaugurado o “Aquário Vasco da Gama” no Dafundo, Algés.

fotos in: Arquivo Municipal de Lisboa, Hemeroteca Digital, Biblioteca Nacional Digital

26 de agosto de 2014

Curiosidades Automobilísticas (13)

Vencedor do Grande Prémio da Curia, em 1927, Alfredo Marinho Júnior em “Bugatti”

“MG” TC de Joaquim Filipe Nogueira em 1950, no Circuito da Parada (Cascais) e na Estrada Marginal Lisboa-Cascais

1950 Filipe Nogueira.1 1950 Filipe Nogueira.2

Joaquim Filipe Nogueira, neste ano de 1950, seria vencedor absoluto da II Grande Volta a Portugal em automóvel.

Lembro que Joaquim Filipe Nogueira além de ter sido dos maiores pilotos portugueses de automóveis, em diversas categorias, ficou igualmente conhecido por um programa que manteve na RTP durante os anos 60 do século XX, chamado “Sangue na Estrada”, dedicado à prevenção rodoviária. Outros dois programas, o “TV-Motor” e “Ida e Volta” foram da sua responsabilidade. Seu filho José Filipe Nogueira na foto abaixo, estreou-se em competições em 1976, ao volante de um Mini Cooper S.

Filipe Nogueira exibindo os troféus ganhos por este carro até Dezembro de 1952, e o mesmo carro actualmente no Porto, e o filho de Filipe Nogueira, José Filipe Nogueira

1950 Filipe Nogueira.4 1950 Filipe Nogueira.6
Estas 4 fotos anteriores foram gentilmente cedidas por Pedro Bragança a quem, mais uma vez, agradeço

Camioneta “Adler”

SPAL - Acessórios para automóveis, na Avenida da Liberdade em Lisboa em 1954

fotos in:  Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian, Arquivo Municipal de Lisboa