4 de dezembro de 2014

Porto de Lisboa (19)

Chegada da nau “Portugal” à Doca de Belém para a “Exposição do Mundo Português de 1940

Lançamento do cabo submarino para a Trafaria, com o rebocador “Figueira da Foz” em primeiro plano

Obras de construção do “Entreposto de Santa Apolónia”

 

Paquete “Moçambique” e o rebocador “Cabo Espichel” em manobras de atracação no cais da “Gare Marítima de Alcântara

Fotos in: Arquivo Municipal de LisboaBiblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian

4 comentários:

João Celorico disse...

Caro José Leite,

A nau a que puseram tal “infausto” nome (talvez alguma premonição), lá conseguiu chegar ao local da Exposição, depois dum nascimento atribulado. Não iria ter melhor vida pois logo em Fevereiro, vítima do ciclone, virou-se outra vez. E curta vida seria a sua pois, como já aqui foi referido, seria transformada em barcaça.

O lançamento do cabo submarino, em 1966, causa-me alguns engulhos porque eu, de vez em quando arvoro-me em grande conhecedor da AGPL e sua frota e esse “Figueira da Foz” não consta da minha memória (defeito meu, possivelmente). O outro rebocador, muito provavelmente, julgo ser o “Cabo Espichel”.

O paquete “Moçambique”, está em manobras de atracação ao cais da Gare Marítima de Alcântara e não na “Doca”!

Cumprimentos,
João Celorico

José Leite disse...

Caro João Celorico

Quanto ao rebocador de seu nome "Figueira da Foz" ele está correcto conforme lhe envio o link do AML em que na máxima resolução poderá comprovar.

http://arquivomunicipal2.cm-lisboa.pt/xarqdigitalizacaocontent/Imagem.aspx?ID=2457883&Mode=M&Linha=1&Coluna=1

Quanto á seguinte chamada de atenção ... admito a imprecisão.

Os meus cumprimentos

José Leite

João Celorico disse...

Caro José Leite,

a minha estranheza não é em relação ao rebocador do qual tenho conhecimento da existência. O meu problema (por isso é só meu) é que não estou a vê-lo em 1966 pois eu, entre 1955 e 1957, pode-se dizer que tinha toda a frota da AGPL debaixo de olho e não seria fácil esse escapar. Também não vejo a possibilidade da sua aquisição posteriormente a estas datas. Assim, só podem acontecer duas coisas, ou eu estou muito esquecido (o que será natural) ou a foto é anterior a 1966.
Porém, como noutros casos, também neste não é assunto tão importante assim...

Cumprimentos

João Celorico

José Leite disse...

Caro João Celorico

Eu também acho que a data da foto informada pelo AML estará "adiantada" no tempo, mas como já estou acostumado a datas erradas, nada me estranha.

Pelo sim ou pelo não, vou retirar a referência ao ano da foto

Os meus cumprimentos

José Leite