16 de agosto de 2013

Praia da Rocha

A “Praia da Rocha” é uma praia no concelho de Portimão, no Algarve. Esta praia tem uma grande extensão de areal, numa área total de cerca de 146 000 m², ao longo de 1,5 km de costa. Junto à praia ergue-se a Fortaleza de Santa Catarina, construída no século XVII para assegurar a defesa da barra do rio Arade.

Primeiros chalets na ainda denominada “Praia de Santa Catharina”

Já nos finais do século XIX muitos banhistas hospedavam-se nas casas e quintas que rodeavam a costa, disfrutando da grande atracção que era “Praia de Santa Catharina” ou “Praia da Rocha”. Em 1894 Julião Lourenço Pinto faz uma das primeiras descrições da «singular e pitoresca praia, como certamente não há outra no país em equivalência de encantos e em condições hidrográficas tão vantajosas».

 

Em 1 de Agosto de 1910, abre o “Casino da Praia da Rocha”, sintoma da crescente afluência de gente a esta estância, marcando uma fase de melhoramentos contínuos que vão atrair aqui a aristocracia do sul do País e da Andaluzia. O lugar povoa-se, assim, de casas e chalets onde se acolhem numerosos turistas.

Notícia no jornal “ O Algarve” em Agosto de 1910

   

Tourada improvisada nos terrenos contíguos ao Casino

Crónica no jornal “O Algarve” em 17 de Agosto de 1910

  

     

Francisco Bivar Weinholtz era o grande proprietário dos terrenos da “Praia da Rocha”, onde foram construídas as habitações mais antigas, entre o “Hotel Viola” e a “Fortaleza de Santa Catarina”. A ausência de uma panóplia de proprietários permitiu uma maior organização do espaço e a expansão das habitações ao longo da via rodoviária, actual Avenida Tomás Cabreira.

O “Hotel Viola”, foi o primeiro hotel a ser construído na “Praia da Rocha”, por volta de 1912 e rápidamente se torna insuficiente para a crescente procura. Encerra e é demolido dando lugar ao “Grande Hotel da Praia da Rocha”.

Hotel Viola

Em 1 de Maio de 1932, é inaugurado o “Grande Hotel da Praia da Rocha”, na Avenida Tomás Cabreira. O empresário Saldanha Lima cria a firma “Empreza Hoteleira Praia da Rocha, Lda.” que seria a promotora e proprietária desta unidade hoteleira com 80 quartos. A gerência deste hotel foi entregue a José Jacinto dos Santos.

Grande Hotel da Praia da Rocha

Nesta mesma data, 1 de Maio de 1932 são inauguradas as obras de remodelação e ampliação do “Casino da Praia da Rocha”. Este Casino era apoiado pelo “Grande Hotel da Praia da Rocha”. Por sua vez a “Sociedade da Praia da Rocha”, adjudicou em finais de Junho de 1934 à “Empresa do Casino Internacional da Foz do Douro” - que já explorava o jogo na zona da Póvoa de Varzim - os direitos de exploração do jogo no “Casino da Praia da Rocha”. Empresa que promoveria, de imediato, as obras de melhoramentos do velho edifício do Casino.

“Casino da Praia da Rocha”

Em 14 de Agosto de 1910, podia-se ler no jornal “O Algarve” :

«Já se veem postos os paus em que se lançarão os fios telegraphicos para a estação telegrapho-postal com que vae ser dotada esta praia.
- A procura de casas continua insistente, não havendo já meio de satisfazer os pedidos
- No Casino a animação faz os seus progressos, notando-se comtudo que a distracção eleitoral affasta alguns elementos d'aquelle centro de convívio.
Temos concertos de tarde ás terças, quintas e domingos ou dias santificados e á noite baile, que geralmente dura até á meia-noite.»

Em 1936 é construído o “Hotel Bela Vista", que ocupou o edifício abandonado designado por “Vila de N.ª Senhora das Dores”, construído em 1918, e que pertencia ao famoso industrial conserveiro António Júdice de Magalhães de Barros.

“Vila de N.ª Senhora das Dores

Esta residência esteve ao abandono durante uma década, precisamente desde 1924, ano de falecimento da  esposa de Magalhães de Barros, até 1934, quando Henrique Bívar de Vasconcelos, que já possuía uma pensão no centro de Portimão, convenceu os herdeiros a arrendarem-lhe o edifício, para nela instalar uma moderna unidade hoteleira. Esta viria a ser inaugurada em 1936, a que chamaram de "Hotel Bela Vista". Com as dificuldades da II Guerra Mundial, este hotel faliu e encerrou. Seria um algarvio abastado, natural do Ferragudo, Albino Paulino de Jesus, que acabado de regressar ao Algarve, decidiu investir na “Praia da Rocha”, e viria a reabrir o “Hotel Bela Vista”, à frente do qual se manteve como sócio-gerente durante largos anos.

“Hotel da Bela Vista”

 

 

A principal avenida da “Praia da Rocha” é, desde 17 de Julho de 1919, a Avenida Tomás Cabreira, em homenagem a Tomás António da Guarda Cabreira, militar, professor e político. Tomás Cabreira foi um dos principais organizadores do Congresso Regional Algarvio, realizado na Praia da Rocha em 1915, que contribuiu decisivamente para a divulgação das potencialidades turísticas da Praia da Rocha e do Algarve.

Tomás António da Guarda Cabreira (1865-1918)

Tomás Cabreira (1865-1918)

«A avenida foi crescendo ao ritmo da evolução turística da Praia da Rocha. Como facilmente se comprova pelas imagens que a seguir seguem, numa primeira fase a avenida tinha inicio no Hotel Viola e terminava pouco depois do casino, sendo ainda a estrada em terra batida. Para o lado do actual Hotel Júpiter em direcção ao Miradouro, havia apenas um estreito caminho, acompanhando o muro da propriedade agrícola que ocupava esse espaço.

Avenida Tomás Cabreira nos seus primórdios

 

Na Avenida Tomás Cabreira localizam-se algumas das mais antigas e importantes unidades hoteleiras algarvias, de que se destacam o “Hotel Algarve Casino”, o “Hotel Júpiter”, o “Hotel da Rocha”, o “Hotel Bela Vista” e o “Hotel Oriental. Em termos de património histórico, destaca-se a Fortaleza de Santa Catarina e, como espaços de diversão nocturna, dispõe das discotecas e vários bares e restaurantes. Nesta avenida encontra-se a maior oferta comercial da Praia da Rocha, com estabelecimentos dedicados à venda dos mais variados produtos. Lembro que esta avenida já teve outras toponímias entretanto ao longo das décadas: Avenida Marginal, Avenida Principal, Avenida da Praia da Rocha, Avenida Francisco Bivar Weinholtz.»

Avenida Tomás Cabreira nos anos 50 do século XX

 

A “Fortaleza de Santa Catarina” foi edificada entre 1629 e 1633, no local onde já existiria uma antiga capela dedicada a Santa Catarina e chamada de Santa Catarina de Riba-Mar, por veneração a Santa Catarina de Alexandria.

O engenheiro militar, e arquitecto italiano, Alexandre Massaii veio para Portugal em 1589, contratado por Filipe II para elaborar um sistema de defesa do litoral sul do país, tendo realizado um levantamento notável de toda a costa algarvia e alentejana, sendo autor dos mais antigos mapas de muitas das localidades destas regiões.

Entre os seus projectos principais destacam-se o Forte de Pessegueiro (Ilha do Pessegueiro), Forte de São Clemente (Vila Nova de Milfontes), Forte de Revelim (Sines), Forte de São Lourenço do Bugio (Lisboa), Forte de São João do Arade (Ferragudo), Fortaleza de Santa Catarina de Ribamar (Praia da Rocha).

Forte de Santa Catharina na foz do Rio Arade

 

Foi em 1633, durante o reinado de Filipe III, que o então governador do Algarve, D. Luís de Sousa, se dedicou pessoalmente à conclusão das obras, e para isso, utilizou as rendas da fazenda pública e do donatário de Vila Nova de Portimão, que era, ao tempo, o Conde D. Gregório Castelo-Branco. A sua construção teve por finalidade,  evitar os ataques dos corsários ou de outros agressores que colocassem em risco a defesa das cidades de Portimão e de Silves

7 Agosto de 1932

Ponte sobre o rio Arade de acesso a Portimão

                                           1937                                                                                         1940

 

1941 

Foi a “Sociedade Praia da Rocha”, que em cujo seio nasceu o “Clube de Golfe da Praia da Rocha”, que promoveu o primeiro campo de golf do Algarve, situado na foz do rio Arade, junto a Portimão. Após a obtenção do alvará, das licenças camarárias e outros documentos, o “Clube de Golfe da Praia da Rocha”  arrendou à “Sociedade Foz do Arade”, pelo período de 19 anos e por uma renda mínima de cem escudos por ano, todo aquele terreno, onde efectivamente se construiu em 1937 um campo de golfe.

 

Largo Alexandre Masaii nos anos 70 do século XX

Em 11 de JUnho de 1967 seria inaugurado o primeiro Hotel-Casino de Portugal, na Praia da Rocha o “Hotel Algarve”. Com a categoria de 5 estrelas, hoje chama-se “Hotel Algarve Casino”.

                                       Em 1967 …                                                                    … e actualmente

 

Entretanto o antigo “Casino da Praia da Rocha”, encerrou e o seu edifício foi transformado no, actual, “Hotel Oriental”, de 4 estrelas.

 

O Hotel Júpiter, de 4 estrelas, exteriormente práticamente igual ao seu original dos finais dos anos 60 do século XX

 

O antigo “Grande Hotel da Rocha”, posteriormente demolido e no seu lugar nasceu o “Hotel da Rocha”, que por seu turno, também depois de demolido deu lugar ao, actual, “Rocha Hotel Apartamento” de 4 estrelas.

 

O único hotel, na Praia da Rocha, que manteve intacta a sua traça original, e o mais antigo ainda em funcionamento, é o “Hotel da Bela Vista” inaugurado em 1932. Este hotel ganhou em 2012, o Prémio SIL do Imobiliário nas categorias de «Melhor Empreendimento Imobiliário - Turismo» e de «Melhor Empreendimento Imobiliário - Reabilitação Urbana».

Bibliografia: Também foram consultados os Blogs “Promontório da Memória” e “Toponimia de Portimão e sua História , pelo que aproveito para agradecer aos seus proprietários.

fotos in: Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian, Toponímia de Portimão e sua História, Delcampe.net, Hemeroteca Digital,

13 comentários:

João Menéres disse...

Mas que oportuno e EXCELENTE
postagem !
Muito obrigado !

Um abraço.

José Leite disse...

Caro João Menéres

Muito grato pelas seu amável comentário.

Um abraço

José Leite

Bic Laranja disse...

Sim senhor. Interessantíssimo e imensamente informativo, como habitual
Muito obrigado!
Cumpts. :)

João Menéres disse...

Vou tentar fazer mais umas actualizações para editar em Setembro ou Outubro no meu blog.
Ficarão à sua disposição ( se as achar pertinentes, claro está ).
Há dois anos, comprei ao fotógrafo Oliveira ( de Portimão ) duas fotos de 1950 do areal da Praia da Rocha, vendo-se algumas das referências que aqui relata.
Os toldos eram todos planos...

Um abraço.

José Leite disse...

Caro Bic Laranja

Grato pelo seu comentário e amabilidade

Os meus cumprimentos

José Leite

José Leite disse...

Caro João Menéres

Grato pela sua disponibilidade e atenção.

Um abraço

José Leite

Anónimo disse...

EXCELENTE!
Muito obrigado pela partilha.
Cordiais Cumpts,
Paula Branco

José Leite disse...

D. Paula Branco

Muito grato pelo seu amável comentário.

Os meus cumprimentos

José Leite

Bruno Portugal Gomes disse...

Excelente artigo, muito obrigado! Gostei imenso da referência ao meu bisavô (José Ribeiro Castanho), que aparece no recorte do "Algarve", de Agosto de 1910. O chalet "Villa Feliciana" ainda existe mas quase engolido por bares e restaurantes que o rodeiam.

José Leite disse...

Caro Bruno Gomes

Grato pelo seu amável comentário

Os meus cumprimentos

José Leite

Bia disse...

Gostei imenso de ler e de ver as imagens recolhidas! Parabéns pelo trabalho.
Maria Beatriz Magalhães Barros

José Leite disse...

D. Maria Beatriz

Grato pelas suas simpáticas palavras
Os meus cumprimentos
José Leite

Estela Lapa disse...

Uma maravilha...
Grata pela partilha de saberes.