31 de dezembro de 2012

Nevão em Lisboa em 1945

«Lisboa já é uma cidade civilizada: até tem neve». Podia-se ler no jornal "Diário de Lisboa" em 16 de Janeiro de 1945.

                                     Automóvel "Graham Six" de 1931, junto da Cadeia Penitenciária de Lisboa

                                      

                                                                              Avenida Duarte Pacheco

                                      

                                                                                     Campo Grande

                               

E continuava ...

«A cidade tomou aspectos novos. De um modo geral, o transito foi diminuto. Os estabelecimentos apresentavam-se, quasi todos, com as portas fechadas, sôbre as quais se tinham colado letreiros improvisados. "Empurre". Noutros foram corridas as cortinas, que tinham sido instaladas, há meses, durante o período de defesa passiva».

«O mau tempo prejudicou o serviço de "eléctricos", pois, por estar muito pessoal doente - 220 guarda-freios e condutores! - o numero de carros a funcionar tem sido menor. Verdade seja que há menos passageiros - o que, de resto, também se verifica nos comboios. É que o numero das pessoas constipadas ou com gripe ascende a muitos milhares, estando muitas de cama, ao mesmo tempo que diversos patrões têm dispensado, nestes dias maus, grande parte do pessoal. Hoje, foram retirados da circulação os carros abertos.»

                      Auto-Estrada Lisboa-Estádio Nacional                                                Príncipe Real

           

                                          

              Campolide e Bairro Calçada dos Mestres                                                      Transeuntes

 

«Grupos de patinadores do "Ski Clube de Portugal", entre eles algumas senhoras, procuravam as zonas de neve mais consistente para as suas praticas desportivas. Claro que estavam longe de conseguir as imensas vertentes da Serra da Estrela, mas mesmo assim divertiram-se toda a manhã, pois o sol não logrou o degelo com facilidade.»

«É caso para perguntar: Estamos no polo norte ou em Lisboa? Até as coordenadas geográficas nos trocaram!»

                       Hipomóvel de lixo utilizado como limpa-neve ao qual foi atrelado um acessório para esse fim

                               

No dia seguinte, 17 de Janeiro de 1945, a neve tinha-se dissipado na cidade de Lisboa e às 9h 30m da manhã a temperatura mínima era de 1,6º C. A mínima nacional era registada nas Penhas Douradas com -6,3ºC e a máxima em Lagos com 6,7 ºC à mesma hora.

                                                                               Aeroporto de Lisboa

                               

48 Aeroporto 1945.0

A queda de neve em Lisboa, e no resto do país, tinha começado a 12 de Janeiro, tendo-se prolongado pelos dias seguintes até 17 de Janeiro.

Fotos in: Arquivo Municipal de Lisboa, Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian

28 de dezembro de 2012

Antigamente (58)

    Equipe do jornal "O Século" que acompanhou o "Raid Hípico" (1907) num De Dion Bouton type AU de  1907

                                  

                                                                 Bacalhoeiros e rebocador no rio Douro

                                   

                                                   Salão automóvel no Palácio de Cristal no Porto em 1933

                                    

                                                       Carregamento de Vinho do Porto em Gaia em 1910

                                     

27 de dezembro de 2012

Hotel de Turismo da Guarda

Em 1933 a revista "Notícias Ilustradas" lança o "Concurso do Hotel Modelo", com o apoio do Comissariado de Turismo. Oito arquitectos foram convidados a desenhar número igual de hotéis, um por província portuguesa da Metrópole, todos sob a orientação do arquitecto Raúl Lino e baseado no modelo "Casas Portuguesas". Em consequência o departamento de turismo da cidade da Guarda, aproveitando um dos projectos mandou construir um hotel não exactamente igual mas muito na linha desses modelos.

                                                    Maqueta do projecto do arquitecto Vasco Regaleira

 

Projectado por Vasco Regaleira em 1936, o "Hotel Turismo da Guarda" cuja construção tinha sido iniciada em 1936 só estaria concluído em 1947. O projecto inicial foi confiado ao arquitecto pelo Ministério das Obras Públicas e Comunicações, tendo o ministro Duarte Pacheco orientado pessoalmente a sua elaboração, como afirma o arquitecto na memória descritiva. Da fase projecto actual à conclusão de obra ocorreram impasses, alterações e remodelações, sem que o autor fosse consultado.

                              

                              

Em 1958 Vasco Regaleira era convidado pelo Presidente da Câmara Municipal da Guarda a reformular o projecto sob orientação do SNI - Secretariado Nacional de Informação.

«Procedeu-se à construção de dois corpos que ampliaram a frente urbana do imóvel, construiu-se um novo corpo. O edifício apresenta três pisos com áreas distintas de recepção, refeição, lazer, dormidas e serviços. Os interiores apresentam paredes rebocadas e desempenadas à talocha, silhares de azulejos policromos, portas e guarda-ventos em castanho, pavimentos em ladrilho de granito e tectos rebocados com pinturas de fresco que imitam a técnica do século XVIII, bem como tectos de saia e capote em castanho. Exteriormente utilizou-se na cobertura telha portuguesa de encaixe; beirais e sob-beirais com topos tomados, ao gosto da região da Beira Alta e cantarias de granito trabalhado a pico fino» in: IPPAR.

        

               

       

Em 1978 era concessionária do imóvel a empresa "Transcontinental" e em Novembro de 2003 a empresa "Predial das Termas de S. Pedro do Sul" ganhou a concessão do hotel, em concurso público.

Em 29 Maio de 2005 é elaborado o despacho de abertura do processo de classificação, pelo presidente do "IPPAR - Instituto Português do Património Arquitectónico".

                                                                        Foto nos anos 60 do século XX

                              

A autarquia da cidade da Guarda assumiria a gestão e a exploração do "Hotel de Turismo" em 10 de Outubro de 2007, através da "Sociedade Hotel de Turismo", após rescindir, por mútuo acordo, o contrato de concessão com a "Predial das Termas de S. Pedro do Sul". Esta decisão permitiria que a autarquia pudesse avançar com o plano de remodelação do edifício do Hotel, no âmbito de uma candidatura, já aprovada, apoiada pelo "SIVETUR - Sistema de Incentivos a Produtos Turísticos de Vocação Estratégica". As obras orçadas em cerca de 9 milhões de euros, iriam transformar a unidade hoteleira mais antiga da cidade, num Hotel de quatro estrelas, transformando-o num equipamento de qualidade.

                                                                               Etiqueta de bagagem

                                                

O "Hotel de Turismo da Guarda" fechou as portas no dia 31 de Outubro de 2010, após a Câmara Municipal, proprietária do imóvel, ter decidido proceder à venda do edifício, por 3,5 milhões de euros, ao "Instituto de Turismo de Portugal" que ali irá instalar uma "Escola de Hotelaria e Turismo de Portugal".

À data do seu encerramento esta unidade hoteleira de 3 estrelas oferecia 98 quartos e 2 suites, restaurante, bar, sala de conferências, piscina, etc.

                      Fotos do exterior e interiores do  "Hotel de Turismo" da Guarda no ano do seu encerramento

                                    

        

       

A "Escola de Hotelaria e Turismo", será a primeira especializada em Saúde e Bem-Estar a servir em conjunto os distritos da Guarda e de Viseu reforçará a resposta às necessidades formativas do sector turístico nesta região, contribuindo para a criação de emprego qualificado e para a melhoria dos serviços, em linha com os objetivos do Plano Estratégico Nacional do Turismo. Com abertura prevista para 2013, a nova unidade representa um investimento de 12 milhões de euros. Este estabelecimento de ensino, com capacidade para 200 a 250 alunos, estende também a sua oferta educativa ao domínio do Turismo Cultural e Paisagístico, contando com um hotel de aplicação, um restaurante de aplicação, um auditório e um refeitório para alunos.

26 de dezembro de 2012

Cartazes Publicitários (10)

                                                                                          1916

                                                  

                                                                                          1917

                                                  

                                                                                           1925

                                                  

                                                                                         1955

                                                  

Cartazes in: Biblioteca Nacional Digital

22 de dezembro de 2012

Quadra Natalícia

Estamos em mais uma quadra natalícia …

                             

  

                                        Calçada da Estrela                                                          Rua do Carmo

               

                                                              "J. C. Alvarez" na Rua Augusta em Lisboa

 

 

                                                               "Natal do Sinaleiro" promovido pelo ACP

Natal do Sinaleiro.1 

Aproveito a oportunidade para desejar a todos os leitores, seguidores e amigos deste blogue, um Feliz Natal e Boas Festas.

fotos in: Fundação Portuguesa das Comunicações, Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian, Centro de Documentação do ACP

21 de dezembro de 2012

Curiosidades Automobilísticas (2)

                                                                         «Lorraine Dietrich» em 1907

                               1907  Diétrich, modelo de série 1907. Importado pela Sociedade Portuguesa de Automóveis, Ltda., Lisboa. 30.40 cv. 4 cilindros

Chassis com motor pronto a ser carroçado, do modelo da série 1907 da marca «Lorraine Dietrich» equipado com um motor de 8.950 cc com 4 cilindros, debitando entre 40/50 cv. Era importado pela "Sociedade Portuguesa de Automóveis, Lda.»

                                                                              «Ford T» em 1909

  

Este automóvel «Ford T» equipado com um motor de 2.900 cc com 4 cilindros, debitando 20 cv., foi o primeiro desta marca a ser importado para Portugal, em 1909 e pela "Garage Americana"  propriedade de Carlos Augusto Martins Pinto, que também o conduz. 

                                                                               «Florentia» de 1908

                               

Ao volante deste automóvel italiano «Florentia» equipado com um motor de 40/50 cv, o seu proprietário o Visconde de Sacavém, um dos fundadores do automobilismo em Portugal. Era o carro mais luxuoso em Portugal no seu tempo. Matrícula: Liz.476 - Maio

                                      Passeio automóvel ao Farol da Guia, entre Cascais e Guincho, em 1913

                               

Fotos in: Centro de Documentação do ACP