3 de fevereiro de 2012

Hotel do Parque no Estoril

« (…) Junto ao convento dos Religiosos de Santo António, em uma Quinta chamada do Estoril, está um tanque, em cujo fundo nascem três olhos de água, que ao romper da manhã está quase morna, e pelo dia adiante se põem menos fria, que qualquer outra água comum. Corre por minerais de algum enxofre, que sempre se supõem em todas a água, que nasce quente (…) » Henriques, Francisco da Fonseca, in Aquilégio Medicinal. Foi assim que Santo António do Estoril começou a ser conhecido em 1810, e posteriormente as águas do Estoril fizeram parte do catálogo elaborado por Agostinho Lourenço para a “Exposition Universelle de Paris” de 1867.

Santo António do Estoril em 1889

Os primeiros banhos ali existentes remontam ao séc. XVIII, segundo Lopes (1892): «Este balneário existe desde o tempo de el-rei D. José que o frequentou, mas foi restaurado em 1880 pelo actual proprietário Sr. José Viana da Silva Carvalho. Contém 15 tinas em mármore para banhos de imersão, em quartos separados, circundando um pequeno jardim coberto que serve de sala de espera».

                                               Estabelecimento Termal de Santo António do Estoril em 1894

                                      

                                                            Estabelecimento Termal do Estoril  em 1911

                                      

O Estabelecimento Termal do Estoril construído em estilo árabe, pertencia à Quinta do Estoril ou do Viana, propriedade de José Viana da Silva Carvalho. Esta foi vendida por volta de 1913.

Em 1918 é aberto o novo estabelecimento termal, como “Hotel das Termas”, que mais tarde mudaria de nome para “Hotel do Parque” que incluía o hotel no seu primeiro andar, tendo sido projectado pelo arquitecto António Rodrigues. Passou a estar anexo ao Hotel Palace, a partir de 1930 a quando da inauguração deste, e apresentava-se com uma fachada de estilo neo-clássico.

«L’établissement thermal actuel, luxueux et confortable, est installé dans un édifice spécialement construit dans le but auquel il est destine. Il se compose d’un sous-sol et de deux étages. Dans sous-sol e tau rez-de-chaussée sont les 40 cabines de bain construites en porcelaine écossaise, les sales de repos, une piscine, la sale de gymnastique et de mécanothérapie, etc. Au prémier étage, dans l’aile sud du bâtiment est installe L’Hôtel du Parc. »

O Alvará de concessão das Águas do Estoril é transferido para a “Sociedade Estoril Plage” pertença do empresário Fausto Cardoso de Figueiredo, em 14 de Julho de 1921.

                                                           Termas e Hotel do Parque no Estoril em 1918 …

                                       

                                                            …. nos finais dos anos 30 do século XX         

                                       

Na década de 30 do século XX, a “Sociedade Estoril Plage”, inicia uma série de obras para promoção turística desta estação balnear marítima e termal, tendo sido então construídos o Casino Estoril e o Hotel Palácio do Estoril. Foram urbanizados e definidos os arruamentos e jardins do Estoril.

                                                              “Hotel do Parque” e o “Palácio Hotel” ao lado

                                       

         

Na década de 20, a “Sociedade Estoril Plage” inicia uma série de obras para promoção turística desta estação balnear marítima e termal, foi então construído o “Casino Estoril” o Palácio Hotel, foram urbanizados e definidos os arruamentos e jardins do Estoril, ao lado do referido Hotel, os dois edifícios do estabelecimento termal deram lugar a uma nova estância termal.

                                        

       

       

últimas 7 fotos in: Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian

Outubro de 1950

Em 1944, o professor Herculano de Carvalho procedeu a uma nova análise destas águas, concluído: «Estoril é a mais mineralizada das águas cloretadas do País, e tem individualidade própria. A sua forte radioactividade é comparável à das águas dos Cucos, mas um pouco mais alta ainda» .

Publicação de 1935

 

                                            1930                                                                                   1944

        

O “Hotel do Parque” e a “Estoril-Termas” foram demolidos em 1961.

A 12 de Abril de 2010, quarenta e oito anos depois do seu encerramento, a “Sociedade Estoril-Plage”, proprietária do "Hotel Palácio", reabre novamente as antigas Termas. Chamam-se agora "Termas Estoril", e ficam localizadas entre o Hotel e o “Centro de Congressos do Estoril”. O edifício tem dois polos distintos: um dedicado à vertente de "spa", orientado para tratamentos de beleza e bem-estar, e outro mais indicado para terapias preventivas ou tratamento.

As “Termas do Estoril” estão instaladas no mesmo edifício que acolhe o “Banyan Tree Estoril”, um SPA de inspiração asiática, pertencente a  uma das mais luxuosas cadeias de SPA do mundo.

                                        Termas Estoril.1

       Termas Estoril.2  Termas Estoril.3

3 comentários:

Graça Sampaio disse...

Uma vez mais uma excelente retrospectiva! Adoro conhecer estes "pedaços" de história destes "pedaços" de terra tão próximas da minha terra.

Obrigada.

Anónimo disse...

Boa noite,

O Estabelecimento Termal do Estoril (ao estilo árabe), pertencia à Quinta do Estoril ou do Viana, pertencente a José Viana da Silva Carvalho, que foi vendida por volta de 1913.
Parabéns pelo blog,
Duarte Vilardebó Loureiro

José Leite disse...

Caro Duarte Loureiro

Grato não só pelas suas amáveis palavras como pela informação que acrescentou

Cumprimentos

José Leite