6 de janeiro de 2012

Café Portugal

O “Café Portugal” foi inaugurado na Praça D. Pedro IV (Rossio) nos 56-58, em Lisboa no dia 16 de Abril de 1938. Foi projectado pelo arquitecto Cristino da Silva. Os seus proprietários eram  Jorge Soriano, Saúl Saragga e António Maria Cardoso também sócio dos «Cafés Reunidos». Neste local tinha existido anteriormente, no século XIX uma loja de pianos “J. Heliodoro de Oliveira” oriunda da Rua dos Fanqueiros.

Café Portugal.3 Café Portugal.1

Para a realização deste projecto foi necessário fazer um desaterro, surgindo uma dificuldade inesperada: um lençol de água abundante e, por baixo, as cabeças das estacas pombalinas enterradas em vasa lamacenta. Pelo que foi necessário refazer as fundações do prédio e construir 16 estacas moldadas que ficaram a uma profundidade de 17 metros. Este complicado trabalho foi dirigido pelo engenheiro Teixeira Duarte.

Toda a construção do “Café Portugal”  ficou a cargo da “Sociedade de Construções Amadeu Gaudêncio, Lda”. Este estabelecimento foi equipado com um sistema de ar condicionado.

O interior foi enriquecido com a estátua «Portugal Novo» de Leopoldo de Almeida e nas paredes da entrada um painel do pintor Roberto de Araújo, além dos frescos de Jorge Barradas

 

 

Publicidade em 16 de Junho de 1950

   

Frescos de Jorge Barradas

     

 Café Portugal.8      Café Portugal.9

fotos in: Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian, Arquivo Municipal de Lisboa

No início dos anos 70 do século XX, foi transformado em salão de jogos e de seguida encerrou. Mais tarde foi adquirido pelos “Estabelecimentos Valentim de Carvalho S.A.” que aí instalou uma «megastore» de música. Não tendo tido o sucesso esperado, esta «megastore», já no século XXI, mudou-se para o restaurado «Edifício Grandella» na Rua do Carmo. No seu lugar instalou-se uma sapataria.

Sem comentários: