8 de setembro de 2011

Fábrica de Material de Guerra de Braço de Prata

A “Fábrica de Material de Guerra de Braço de Prata”, foi outro grande equipamento industrial da freguesia de Marvila, em Lisboa, A sua construção foi iniciada em 1904 e terminada em 1908, e instalada no sítio da antiga Oficina de Pirotecnia (1869) e da Real Vidreira (1798), na Rua da Fábrica de Material de Guerra.

“Fábrica de Material de Guerra de Braço de Prata”

 

 

Também chamada vulgarmente como Fábrica de Braço de Prata, começou a funcionar em 1908, com a denominação oficial de “Fábrica de Projécteis de Artilharia”, fazendo essencialmente munições de artilharia e estando dependente do Arsenal do Exército. Posteriormente foi alargando a produção para outros equipamentos militares, além de munições de artilharia, tendo por isso, alterado a sua designação para “Fábrica Militar de Munições, Armas e Veículos”.

 

                                

 

                                 

 

Mais tarde o nome oficial passou a ser aquele por que já vinha sendo conhecida: “FMBP - Fábrica Militar de Braço de Prata”, ou simplesmente “FBP - Fábrica de Braço de Prata”. Esta fábrica, viria a beneficiar com a entrada de Portugal na OTAN e também com o auxílio do chamado Plano Marshall, em 1949-50, tendo recebido importante ajuda financeira para a montagem da maquinaria necessária à produção dos componentes metálicos e das instalações de carregamento, acabamento e embalagem de munições para armas ligeiras, bem como para o aperfeiçoamento técnico de muito do seu pessoal.

Em 24 de Novembro de 1953, deu-se uma explosão nesta fábrica da qual resultaram com 12 mortos e duzentos feridos.

 

                            Prensa de 17 toneladas                                   Máquina de teste de resistência de tecidos das fardas

                        

 

                                

 

Atingiu o seu auge durante a Guerra do Ultramar, altura em que conseguiu produzir centenas de milhares de espingardas automáticas, morteiros, metralhadoras, munições, fardamentos e outros artigos que equiparam as Forças Armadas Portuguesas. Ao mesmo tempo ainda produzia equipamentos para exportação, sobretudo para a República Federal da Alemanha, como por exemplo os 120 milhões de munições calibre 7,62 entre 1959 e 1960, e em 1963 as 210 milhões de munições tracejantes do referido calibre 7,62

 

fotos anteriores in: Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian (Estúdio Mário Novais)

Os produtos projectados, e fabricados, nesta fábrica mais conhecidos foram:

Pistola-Metralhadora de 9 mm
Espingarda Automática G3
Metralhadora de 7,62 mm HK21
Morteiro de 60 mm
Pistola-Metralhadora de 9 mm de seu nome "Lusa", não tendo sido fabricada nesta fábrica mas cuja licença foi vendida

                                                                           A FBP ( “ agrafadeira ” )

                               

O desenho e fabrico eram inteiramente portugueses e a sua construção era dividida entre 2 fábricas, a FNM (Fábrica Nacional de Munições, em Moscavide), e a FBP (Fábrica de Braço de Prata). Existiram 2 versões: a FBP M/947 com tiro completamente automático e a FBP M/961 com selector de tiro, que permitia tiro semi-automático e automático.

                                                                                Morteiro M/968 60mm

                                 

                                                                    Boletim da comemoração dos 59 anos

                                        

Em 1980 foi absorvida pela recém criada "Indep - Indústrias Nacionais de Defesa, E.P.", que por sua vez, em 1996, foi introduzida no grupo designado “Empordef –Empresas Portuguesas de Defesa”.

Anos depois do seu equipamento ter sido transferido para Moscavide, as suas instalações foram transformadas e recuperadas albergando, a “Fábrica Braço de Prata”, um complexo de salas de exposições, sala de cinema, sala de música, bares, restaurante, livraria, etc.

                                                                           “Fábrica Braço de Prata”

                                 

          

Sem comentários: