24 de maio de 2011

Cine-Teatro Joaquim de Almeida

Situado na cidade do Montijo, o Cine-Teatro Joaquim de Almeida foi inaugurado em 1957, sob o projecto doa arquitecto Sérgio Gomes. Outrora construído em madeira e localizado na Rua Miguel Pais, foi inaugurado no mesmo ano do Mercado Municipal, e no local da antiga Praça de Touros. O seu nome é em homenagem a um antigo actor português Joaquim de Almeida que viveu entre o século XIX e século XX.

                                                                     Exterior, em 1957

                              

Em 21 de Dezembro de 1910, acerca da passagem à reforma do actor, o jornal O Século noticiava que “o glorioso artista Joaquim de Almeida, a cuja velhice os governos da monarquia não quiseram atender, obstinando-se ingratamente a conceder-lhe a reforma que pedia e a que tinha jus, acaba finalmente de conseguir do governo da República o galardão material que lhe podia caber, depois de tantos anos de serviço consagrados ao levantamento da arte nacional ”.

                                                                         Sala de projecção

 

Possuí no seu interior peças escultóricas da autoria de Martins Correia e José Farinha, aliando o talento às artes, representa as musas inspiradoras – Teatro, Poesia, Dança, Música e Talento.

                                                                                   Foyers

 

fotos in: Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian

Este cine-teatro funcionou até 1991. Em 1999 foi adquirido pela Câmara do Montijo tendo sofrido obras de melhoramento e reabrindo ao público em 14 de Agosto de 2005 - dia do XX aniversário da elevação a cidade do Montijo - após várias remodelações realizando-se-se as mais variadas actividades culturais. A traça original foi respeitada e a estrutura da sala de espectáculos foi mantida. Para conferir as condições “modernas”, “o palco foi alargado e o número de lugares foi reduzido de forma a tornar a sala mais intimista.

 

Equipado com uma sala principal, três foyers, cafetaria/Espaço Mediart, dois gabinetes de tradução simultânea, baby-sitting, terraço e jardim, o Cinema-Teatro Joaquim d’Almeida permite reforçar e alargar o projecto cultural e socioeconómico do concelho do Montijo, oferecendo excelentes condições para a realização de qualquer evento.

2 comentários:

Francisco Santos disse...

Excelente artigo. O Cine-Teatro Joaquim de Almeida é um símbolo vivo da memória colectiva montijense. Felizmente que perdurou, agora revitalizado, ao contrário de tantos outros locais emblemáticos que têm desaparecido em consequência do avaço implacável das "requalificações". Guardo religiosamente, na minha posse, um exemplar original do programa da inauguração deste espaço, em 1957.
Já agora, felicito-o pelo excelente trabalho que tem feito neste blogue. Continue assim por favor!

José Leite disse...

Caro Francisco Santos

Grato pelas suas amáveis palavras

Cumprimentos

José Leite