27 de maio de 2010

O Team BIP no Desporto Automóvel

O “BIP -  Banco Intercontinental Português” foi propriedade de Jorge de Brito (que mais tarde viria a ser presidente do Benfica) e foi fundado em 1972.

O ‘Team BIP’ financiado pelo Banco Intercontinental Português, foi um dos visionários do automobilismo acreditando, em 1972, a 100% no automobilismos português, na sua capacidade representativa, nos seus pilotos e no impacto mediático. Esteve envolvida no Campeonato Nacional de Velocidade, no Mundial de Marcas e no Europeu de Sport 2 litros. 

                                     Lola T 292 em Spa Francorchamps na Bélgica, em 1973

                                  

Em Maio de 1973, a equipa deslocou-se a SPA-Francorchamps na Bélgica para correr os 1000 Km a contar para o Mundial. Aí iria acontecer um grande sucesso internacional: a dupla Carlos Santos e António Santos Mendonça (que entretanto substituiu Nicha Cabral na equipa) obteve um excelente 6º lugar da Geral e a vitória na Classe 2 litros. Uma curiosidade : o champanhe foi aberto e bebido, o hino nacional foi tocado mas ... a bandeira nacional de Portugal não foi hasteada pois os organizadores da prova não a tinham porque pensaram que não viesse a ser necessária ...

                                   

Em provas tipo “sprint”, como a do Circuito de  Vila Real, apenas era utilizado um piloto por carro, ocupando o “cockpit” dos Lola T-292 os consagrados pilotos Carlos Gaspar e Carlos Santos. O primeiro possuía um impressionante palmarés, quer a nível nacional (2 títulos), quer a nível internacional (1 título em F3).

O Team BIP já não chegou a patrocinar em 1974 o que poderia ter sido o 1º carro de Fórmula 1 português cuja publicação retrato de seguida

                             
                                        Foto in: "F1 Portugal.com"                                                       

O Team BPI já tinha garantido o patrocínio deste arrojado projecto. A equipe que se dedicou a este projecto era constituída por 3 pessoas : O engº José Megre que em conjunto com o técnico João Pereira se ocuparam da parte mecânica do projecto, e Bravo Marinho o projectista e desenhador do monolugar. Este F1 português seria equipado com um motor Ford Cosworth V8 com potência entre 480 HP e os 700 HP.
Apesar de alguns novos patrocínios assegurados como a Magnetti Marelli e Speedline, e não tendo conseguido apoios mais significativos (como do Vinho do Porto), este projecto foi abandonado.

Já agora o ‘BIP Banco Intercontinental Português’  foi, em Outubro de 1974, intervencionado pelo estado que nomeia dois administradores um deles Dr. Medina Carreira. Foi extinto oficialmente em 01/04/1977 e os seus activos transferidos para o Banco Pinto & Sotto Mayor também extinto e adquirido a António Champalimaud pelo BCP.

Sem comentários: